2007-12-26

ALfredo Poeiras

Na sua versão completa o comentário está na caixa do post anterior mas para não ficar lá escondido trago-o para aqui. Para equilibrar os comentários da carta abaixo exposta. Afinal o comentário do Alfredo Poeiras é o de um operário-artista ou vice-versa da Marinha Grande e em termos de operariado e lutas operárias a Marinha Grande desde a revolta dos anos trinta que pede meças a qualquer terra operária incluindo o Barreiro!
Eis uns extractos do texto:

"O Pai Natal é um bacano, tinha-lhe pedido o teu livro, e ele não fez por menos...

«...Sou operário vidreiro, fui militante do Partido e da UJC/JCP durante alguns anos fui membro da Comissão Central.
Também passei por Moscovo, não pela escola do Konsomol, mas pelo Instituto de Ciências Sociais, em 1979.
Faço parte do imenso grupo anónimo que ao longo dos anos saiu do partido por não concordar com muitas das situações que tu consegues descrever neste livro.
Saí ainda antes do fim da URSS, o que aconteceu, só não era visto por quem não queria ver.
Mas lamento, quem ficou a ganhar foi o Capitalismo.
Até há pouco tempo tinha apenas a 4ª classe, o ano passado fiz o 9º ano no processo do RVCC [Novas Oportunidades] neste momento estou a tentar fazer o 12º no mesmo processo.
Estou a escrever isto porque, num dos trabalhos que já fiz. inclui este meu pensamento:
"Ao acabar este trabalho, não sei se consegui, transmitir toda a minha experiência e todas as minhas vivências, no entanto, continuo a acreditar que a luta de classes, terá sempre que ser vista, como o motor de desenvolvimento da sociedade. Não acredito que a sociedade Capitalista seja o fim, haverá sempre quem queira uma sociedade mais justa e fraterna, com menos desigualdades sociais, onde os senhoras da guerra, não tenham o poder de decidir o futuro da humanidade, onde o homem não seja o explorador de outro homem.»
...
Um abraço Alfredo Poeiras
25 de Dezembro de 2007

10 comentários:

Nicodemus disse...

Amigo Poeiras: Esta malta começou com uma dissidência de esquerda e acabaram todos no colo do Sócrates a aplaudir com um fervor estalinista aquilo que nem a pior direita teve a coragem de fazer. O que os move não é um programa nem uma ideologia. É apenas a necessidade de estarem perto do poder, qualquer que ele seja e independementemete do que faça. Chegaram á conclusão que no PCP não chegavam lá tão cedo, logo...

Anónimo disse...

Ó nicodemos se o Cunhal fosse vivo v/ seria despromovido mas com os Jerónimos v/ pode estar descansado. Até pode medrar.
" Esta malta começou com uma dissidência de esquerda " diz v/ mas está errado, onde andava você? Então não se lembra de Cunhal explicar que eles queriam vender a alma ao PS e o pessoal de segunda linha acusava-os de serem da CIA.
" no colo do Sócrates a aplaudir com um fervor estalinista aquilo que nem a pior direita teve a coragem de fazer", diz vocemecê, mas não faz sentido. A pior (ou a melhor) direita não aplaude Sócrates. Não está a ver que são adversários.
Nicodemos, nicodemos, vá lá toca a estudar melhor a lição. Assim fica um Nicodemus da triste figura.

Josefina Poeiras disse...

Boa tarde.
Anonimo e nicodemus não tenham medo de colocar os vossos nomes nos comentários, não correm o risco da PIDE os ir buscar a casa.
Nicodemus no comentário que tu comentas escrevi " que a vida me tem ensinado a ter a minha openião, mas tambem a respeitar a dos outros", logo respeito a tua.
Não há ninguem no mundo, que lamente mais, todas as divisões e dissidencias, pelas quais o Partido Comunista Português, tem passado, que eu.
A Democracia e os trabalhadores Portugueses precisam dum Partido Comunista forte, que apresente soluções e propostas e os defenda.
Eu conheci de perto muitos destes homens e mulheres que sairam do
Partido na altura que o livro relata, tenho a certeza que dedicaram uma grande parte da sua vida ao mesmo sem nada pedirem em troca.
Não sou eu que os cruxificarei por terem saido do partido.
Pelo meu lado posso-te dizer que não tenho nenhum compromisso com o Eng, José Sócrates.
Só uma vez votei no Dr. Mário Soares, seguindo a disciplina do PCP, mas quem me conhece, sabe que o fiz muito, muitissimo contrariado.
Termino por aqui.
Um abraço fraterno para todos
Alfredo Poeiras

Alfredo Poeiras disse...

Ó pessoal não sei o que se passou, o comentário anterior é meu, não da minha esposa.
Alfredo Poeiras

Anónimo disse...

A conversa do que nada ganhei e tudo dei, não justifica nada. Nem todos os ricos são maus e pobre não é sinónimo de bom.
Não ter compromissos com o Eng. pois agora agora ninguém votou nele.
Os factos é que quem deu muito, se calhar agora quer recuperar o tempo que perdeu.
Em resposta ao anónimo que "democraticamente" atacou o nicodemus já reparou que até no seu partido dizem que o seu chefe nunca foi de esquerda.
Tenham juizo todos, e vejam como esta o Pais e como estão alguns de esquerda bem agarrados.

Nicodemus disse...

o que pretendo dizer é que é interessante ver qual odiscurso que este grupo da célebre "plataforma de esquerda"(nomeadamente Vital Moreira, José Magalhães, Pina Moura e Mário Lino) utilizaram na altura para (antes do célebre congresso) e o seu percurso imediatamente posterior.
O mais curioso é que esta plataforma terminou toda a cantar louvores a Sócrates, como o entusiamo do recém-convertidos.
Curiosamente na mesma altura em que numerosos elementos do PS denunciam a política deste governo como de direita e neo-liberal (Alfredo Barroso, Ana Benavente, e até António Barreto).
Por isso a pergunta que é interessante colocar é saber o que aconteceria se naquele célebre congresso esta linha política prevalecesse.

Nicodemus disse...

Amigo Poeiras: concordo consigo e também não pretendo crucifixar ninguém por ter deixado o PCP. Até em alguns casos são capaz de perceber algumas razões de certas pessoas terem deixado o PCP. Não é isso que está em causa.

Só sou é incapaz de compreender certas reviravoltas como, por exemplo, as que aparecem nos escritos do Vital Moreira. Pelo menos a Zita Seabra assumiu o pensamento da Direita e não anda aí com falsos complexos de esquerda.

Anónimo disse...

O nicodemus horroriza-se com o que poderia ser o PCP se os que saíram estivem ao comando. É natural o mesmo sucede com qualquer taliban se visse à frente do Paquistão a Srª Benazir Butto.
Jesus de Nazareh

LS disse...

Que o ano 2008 seja proficuo pessoal e profissionalmente são os votos do "oceano das palavras".

Anónimo disse...

Olá Amigos
Vejo que há muitas coisas que nos separam , Mas há uma que nos Liga, a Vida, e de dar aos nossos a Vida que não tivemos, A Liberdade, é certo que a Liberdade a mais pode lentamente destruir a Democracia, como Tal deveremos saber Aproveitar , para em Conjunto encontrar-mos Soluções para não se Sofrer tanto na Vida, só Porque gostamos de Viver, o Dialogo , a Discussão com respeito Mutuo ,porque todos nós sabemos, que no Fundo os Politicos são todos iguais, e nós ? só temos de fazer a Diferença, quando não estamos Satisfeitos, è com O nosso Voto.
Os meus Votos para uma boa Armonia entre os Povos, Manuel Moiteiro